Effa Lifan Notícias Equipe Carros da China

Chinesas Lifan e Effa negociam separação

Depois de anunciar uma joint-venture em janeiro deste ano, as chinesas Effa e Lifan Motors estão negociando o desligamento total das relações comerciais. De acordo com uma fonte envolvida no processo de separação, que preferiu não se identificar, há várias divergências entre as duas partes que estão prejudicando o andamento das duas marcas no país e no segundo semestre a divisão será efetivada.

Para se ter uma ideia da situação, pelo menos 10 concessionárias de ambas as empresas já foram fechadas. Há também um estoque considerável (a fonte não revelou os números) de veículos parados no pátio da fábrica do grupo no Uruguai esperando que as pendências sejam solucionadas. “O processo deve ser normalizado rapidamente. Os executivos da Effa estão na China para negociar a separação. A questão está começando a se tornar insustentável, já que há carros parados no Uruguai e lojas no Brasil sem nenhuma unidade no estoque”, disse a fonte.

Outra questão que prejudicou os planos das duas marcas foi o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Segundo a fonte, a desaceleração do mercado nacional impediu que novos investimentos vindos da China pudessem manter a parceria ativa. Nos primeiros seis meses do ano, comparado com o mesmo período do ano passado, a Effa está registrando uma queda nas vendas de 70% e a Lifan uma queda de 32%. Os dados são da Associação Brasileira das Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva).

As chinesas Effa e Lifan assinaram em janeiro deste ano, na China, um acordo de criação de uma joint venture que teria o Brasil como base. Na época, uma nova empresa foi criada, a Lifan Motors do Brasil, que iria atuar em toda a América do Sul. A nova empresa começaria suas atividades em julho deste ano e, segundo a empresa, cerca de US$ 120 milhões (mais de R$ 210 milhões) seriam investidos, até 2014 no Brasil e no Uruguai – onde a Lifan tem uma fábrica (unidade citada acima).

Parte deste capital seria investido na modernização da unidade uruguaia (cuja produção passaria de 20 mil para 50 mil veículos por ano), em marketing, pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, e também na ampliação da rede de concessionárias que, no Brasil, contava com 50 lojas (número que já foi reduzido para 40, como falado acima). Além disso, para um segundo momento também estaria incluso nos planos a instalação de uma fábrica no Brasil.

Outro projeto paralizado foi o calendário de lançamentos. A marca previa para 2012 o lançamento de quatro novos modelos: os Lifan 520, Foison picape, Foison Van e o X60. Nenh No ano da criação da Lifan Motors do Brasil e da chegada dos novos modelos, a Lifan esperava que as vendas no mercado brasileiro subissem de 3.757 anotadas em 2011 para 20 mil este ano. Como citado acima, expectativa que ficou extremamente abaixo do esperado.

Vi no Car Sale

Sobre o autor | Website

Alexandre Carvalho é empresário na área de Marketing e Coaching. Uma das suas empresas é a Forcom, especialista em gestão de marketing e conteúdo. Ativo e interessado em diversas temas, tem como objetivo divulgar o segmento de Carros Chineses no Brasil.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!