Lifan Notícias Equipe Carros da China

Lifan montará dois sedãs no Uruguai para venda no Brasil

Para o primeiro semestre de 2014, a Lifan planeja vender no Brasil o modelo LF 530, um sedã de pequeno porte apto a concorrer com outros chineses como Chery Celer, JAC J3 Turin e os nacionais Chevrolet Prisma, Fiat Siena e Volkswagen Voyage.

O Lifan será enviado em kits semidesmontados a partir da fábrica de Chongqing. A montagem final ocorrerá na unidade da Lifan no Uruguai, a mesma que já finaliza o utilitário esportivo X60, lançado em maio de 2013 (veja aqui). Dessa forma, será aproveitado o regime tributário do Mercosul, com exportações ao mercado brasileiro livres do imposto de importação de 35% e dos 30 pontos porcentuais extras de IPI.

LifanDoisSedas

A unidade de Chongqing emprega cerca de 2 mil operários, que trabalham de segunda-feira a sábado em dois turnos. Boa parte da produção é exportada. A capacidade total, entre unidades acabadas e kits, é de 150 mil unidades anuais.

Aqui são montados o próprio 530, o utilitário esportivo X60, o sedã médio 630 (que chegará ao Brasil no segundo semestre de 2014 com motor 1.8) e também o hatch 320 (aquele que imita as linhas do Mini) e sua nova geração, 330.

De outra unidade de Chongqing sai uma linha de utilitários composta por picapes de cabines simples dupla, um furgão e uma minivan de passageiros. A Lifan planeja começar em breve a montagem da versão picape no Uruguai, para poder vendê-la no Brasil ainda em 2013. “Ela tem capacidade de carga para 800 quilos e motor 1.3 de 82 cv de potência. É bem ‘espertinha’, ficamos surpresos com o desempenho”, disse animado o diretor de marketing da Lifan do Brasil, Luiz Zanini.

As 34 concessionárias Lifan no Brasil certamente não veem a hora da chegada desse e dos outros produtos, pois atualmente o único modelo zero-quilômetro que recebem da fábrica uruguaia é o utilitário esportivo X60, com preço sugerido de R$ 52.777.

MÃO DE OBRA JOVEM

Chama a atenção a baixa média etária dos operários em Chongqing, segundo a Lifan, de 24 anos. Em alguns setores da linha de montagem eles têm cara de meninos. Aparentemente, a Lifan dá preferência aos de estatura menor (abaixo de 1,60 metro) para a execução de algumas tarefas, como a montagem do interior. Um desses jovens entrava pela parte de trás do hatch 320 e instalava a forração do teto e outros itens com grande facilidade.

Fábricas da Lifan de Chongqing monta cinco linhas diferentes, entre elas LF 320/330 (à esquerda) e LF 530 (à direita), que deve estar no Brasil no primeiro semestre de 2014 (Fotos: Mário Curcio)

Na linha à parte onde são montados os motores também predominam os trabalhadores com aparência bastante jovem, até porque as funções que exercem exigem menos experiência.

COMO SÃO OS FUTUROS SEDÃS URUGUAIOS

Tivemos a oportunidade de rodar por alguns metros com os dois sedãs a serem montados no Uruguai e vendidos no Brasil, os LF 530 e 630. A volta ocorreu em um pequeno trajeto, com alguns trechos de piso bem irregular.

Nos carros se ouviram ruídos de suspensão e acabamento. Para rodar no Brasil, o ideal é que os chineses revejam molas, amortecedores e outros componentes como buchas e batentes. O desempenho de ambos pareceu apropriado, mas não dá para cravar uma opinião sem passar pelo menos em uma avenida de verdade. Os motores têm comandos de válvulas variáveis e utilizam gasolina. O do 530 uruguaio será 1.5 e o do 630, 1.8.

Os dois carros são completos, como é regra entre os chineses desses segmentos: ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico estão todos lá, assim como som, duplo airbag e freios com ABS. No entanto, o acabamento interno é simples e a união de peças plásticas, irregular.

Vi no Automotive Business

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!