Chery Jac Notícias Equipe Carros da China

O carro da China, no Brasil pode não ser um negócio da china

Quem os carros vindos da china, chamam atenção pelo valor atrativo e vasta lista de acessórios, nós já estamos cansados de saber.
Esse fato chamou atenção do IPEA, que efetuou estudos na intenção de constatar se o real fortalecido estaria anulando as taxas de importação, simplificando, se mesmo com os altos impostos brasileiros seria mais barato importar carros chineses no lugar de produzir unidades no Brasil.

O estudo comprovou que tal fato, no momento é real e que importar os veículos chineses é realmente mais barato que produzi-los em solo verde amarelo, mas isso não quer dizer que comprar um carro importado seja realmente um negócio da china. Realizando a comparação dos preços que são praticados no Brasil dos principais modelos de carros importados da China, constatamos que mais uma vez os preços praticados no Brasil estão exorbitantemente longe de alguns vizinhos.

Podemos ter uma idéia de como nossos preços estão distantes de ser uma pechincha do oriente analisando o seguinte exemplo. O modelo Chery Cielo Hatch, carros oferecido com motorização 1.6 e com uma lista de itens que conta com freios abs com ebd, direção hidráulica, sensor de ré, ar-condicionado, airbag duplo, regulagem de altura do volante, completo sistema de som, CD Player MP3 com USB, travamento das portas, vidros e ajustes dos retrovisores com comando elétrico e rodas de liga leve. É comercializado no Brasil pelo valor de R$43.990, o mesmo carro em solo chileno é vendido por R$ 21.942, no vizinho peru o veículo chinês pode ser adquirido por R$ 24.630 e na Rússia por apenas R$ 22.260. Analisando a informação podemos perceber que no chile é praticamente possível adquirir 2 carros pelo preço praticado no Brasil.

Outra comparação entre os valores dos carros chineses no Brasil e outros lugares do mundo são:

O monovolume Chery Face

  • Brasil: R$32.999
  • Peru: R$16.257
  • Rússia: R$18.698
  • Chile: R$13.490

O utilitário esportivo Chery Tiggo

  • Brasil: R$52.990
  • Peru: R$26.021
  • Rússia: R$35.560
  • Chile: R$24.647

O Hatch da JAC J3

  • Brasil: R$37.900
  • Chile: R$16.195

OBS: Valores baseados em informações do Estadão.

Sobre o autor | Website

Alexandre Carvalho é empresário na área de Marketing e Coaching. Uma das suas empresas é a Forcom, especialista em gestão de marketing e conteúdo. Ativo e interessado em diversas temas, tem como objetivo divulgar o segmento de Carros Chineses no Brasil.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

9 Comentários

  1. Sinval diz:

    Por acaso a moeda dos países citados é o real ?? Essa comparação beira ao ridículo….

  2. Carlos Alberto Seifert diz:

    Quem não tem colirio usa oculos escuro…

  3. Wander diz:

    Pessoal, o que está rolando é uma falta de informação de um e tal de Maria vai com as outras dos outros. Prestem atenção: os preços dos carros não estipulados na moeda local e sim na conversão do dolar para a moeda local e o dolar é um só, e a moeda local tem estipulação de acordo com a política monetária e o nível de renda do consumidor local. Logo aqui no Brasil, subentende-se que o nível de renda da classe média é superior, o que é um engodo. Pois o que realmente acontece é que os brasileiros importam mais culturas por ser menos nacionalista e mais consumidor de culturas, devido a sua diversidade cultural das diversas regiões do pais e a imposição cultural dos paises de melhor economia. vamos supor o seguinte que alguns produtos não passam no controle de qualidade europeu, devido ao grau de rigidez da política européia. Então o que fazer com o produto reprovado, jogar fora? claro que o capitalismo não aceita esse desperdício, então que tal descarregar o lixo na pobre américa latina, é uma boa idéia ! pois, pois, nós brasileiros consumimos tudo, desde peixe crú e quibe cru até produto oriundo do mercosul. entenderam agora? é apenas um questão de consumismo sem fronteiras, e sem exigência de um padrão de qualidade, compreenderam agora? Se um não quer tem muitos que querem. Esses são os burgueses emergentes, que comem até farofa de farinha com areia de copacabana, só porque o Rio continua lindo.

    • Cleber Locutor-Caçador,SC diz:

      Você está certo cara…muitíssimo certo!!!Aqui a gente é muito passivo,aceitamos tudo,não temos um padrão,a única matéria prima em que ganhamos deles(gringos) é mulher,isso é de lavada,a mulher mais bonita do planeta,e se existir vida inteligente em outros planetas aposto que as”mulheres”desses planetas não serão tão bonitas quanto as nossas,isso eu garanto!Mas continuando,o povo brasileiro é muito idiota mesmo,um exemplo de que o brasileiro vai muito na onda dos gringos é ouvir as nossas rádios”jovens”,as vinhetas são todas feitas em inglês,é mais ou menos assim…”Listen the number one,Jovem Pan,the best of the Brazil”,os produtores não tem capacidade de criar algo brazuca,ou são vadios mesmo…
      E se tratando de música o Brasil tá pobre mesmo,ou os talentos estão ofuscados pelo “Tche tche re rê”Eu quero tchu,eu quero tchá”,ou quem sabe,”Ai se eu te pego”…se acontece isso com a cultura,imagine com o resto!!!!
      Rapaz,é um consumismo cultural filho da mãe!!!!

  4. Wander diz:

    O “valor atrativo” dos carros da China e sua vasta lista de acessórios, deveriam chamar atenção sim, não apenas do IPEA, mas da Fiat, da VW, da GM, enfim de todos os veteranos quem empurram carros pelados, inclusive dos lançamentos da NISSAN, que já conhece a fraqueza do consumidor brasileiro, que tem os preços exorbitantes em relação inclusive a america latina, que pelos preços praticados no Chile e Peru, é praticamente possível adquirir 2 carros pelo preço praticado no Brasil.
    E aí Presidenta faça algo a respeito dos preços praticados no Brasil, ou é pela falta de recursos para investimentos em infra estrutura no solo brasileiro, ou falta de diversidade de transportes públicos de qualidades diversas para satisfazer as classes sociais dos brasileiros?
    Será o Chile do prte.Sebastián Piñera, e o Peru do nacionalista Ollanta Humala heranças mais venturosas que o Brasil do Lula e Fernando Henrique?
    Que tal desacelerar o descarrego desses veículos “fantásticos” e investir em transporte público de qualidade ?

  5. Luciano Lima diz:

    Eu vivi 6 anos no Chile , lá é primeiro mundo em tudo, e os carros fabricados na Europa ou qualquer outro pais ,mesmo feitos aqui no Brasil e exportados para o Chile . custam na média 45 % menos que aqui No Brasil, além que lá compra-se carros modelos atuais mesmo resto do mundo,o Ford Focus lá é mesmo modelo atual Europa e custa uns 34 mil reais, um Fiat punto modelo europeu novo custa uns 36 mil reais, ou menos..
    em Janeiro volto viver no Chile e adeus esta Brasil corrupto ,onde pobre só se ferra,